.
Academia Brasileira dos Compradores para Hospitalidades e Restaurantes.
      
 
 
   Casa            Código de Ética
 


 
 



 
   
 
 
Código de Ética .
 
CAPÍTULO I - PRINCÍPIOS GERAIS
SEÇÃO I - CONCEITOS
Art 1º - Este Código compreende normas de conduta e normas técnicas de caráter obrigatório para os Compradores associados à ABRACOHR e ABRACOHR Nacional em seu relacionamento com o mercado, e de caráter de orientação para os demais compradores localizados no País.
Parágrafo único – Este código de ética terá que ser interpretado em harmonia com as normas estatutárias e em caso de conflito, deverão prevalecer as estatutárias.
Parágrafo único - Os associados deverão atender as demais obrigações legais e normas éticas em vigor na sociedade.
Art 2º - Para os fins do Artigo anterior, Comprador é a pessoa física gestora da área de compras de uma entidade jurídica, no caso dos associados da ABRACOHR, que trabalhem em hotéis, flats, restaurantes, hospitais, pousadas e similares, conforme especificado no estatuto da associação.
SEÇÃO II - PREMISSAS
Art 3º - Os Compradores devem exercer suas atividades em regime de total transparência em relação a todos em sua empresa e na ABRACOHR, cabendo-lhes zelar pela imagem da categoria e pela qualidade dos serviços que oferecem e prestam, baseadas na ética e na aptidão técnica de cada um.
SEÇÃO III - APLICAÇÃO
Art 4º - É criada a Comissão de Ética da ABRACOHR, composta por 5 (cinco) associados a serem designados pela Assembléia Geral que aprovará este Código, com atribuição de sua implantação e acompanhamento, sempre em estreita colaboração com as ABRACOHR’s estaduais e distritais.
Parágrafo 1º - Os integrantes da Comissão de Ética serão designados nas Assembléias Gerais ordinárias da ABRACOHR, sendo de um ano o período de seu mandato, podendo ser reconduzidos.
Parágrafo 2º - A ABRACOHR promoverá às ABRACOHR’s estaduais e distritais criação e implantação de Comissões de Ética em cada uma delas, para os fins deste Artigo, cujo funcionamento observará as disposições deste Código e as normas que o complementem.
Art 5º - A Comissão de Ética deverá propor a expedição de normas procedimentais, visando a operacionalização do Sistema de Ética ABRACOHR e deste Código, a serem submetidas à aprovação da primeira Assembléia Geral subseqüente, preservado, sempre, o amplo direito de defesa e a isenção na apreciação de infrações nele estabelecidas.

CAPÍTULO II - RELAÇÕES ÉTICAS
SEÇÃO I - RELAÇÕES ENTRE OS COMPRADORES
Art 6º - Os Compradores podem promover o intercâmbio de informações de natureza comercial, profissional e técnica, salvaguardadas as de interesse individual ou de standarts de suas empresas onde trabalham e evitadas as que reflitam juízos subjetivos de valor.
Art 7º - Na veiculação de publicidade, os Compradores não farão propaganda comparativa depreciando outros compradores, assim como em quaisquer meios de divulgação não farão comentários desairosos a esses mesmos parceiros.
Art 8º - Deve-se desenvolver a cordialidade entre compradores de todo Brasil, unindo suas forças valorizando sua profissão e se ajudando mutuamente.
SEÇÃO II - RELAÇÃO ENTRE COMPRADORES E FORNECEDORES
Art 9º - Os Compradores associados devem seguir sempre os princípios da ética profissional e não poderão usar o nome da ABRACOHR para conseguir benefícios de nenhuma natureza junto a fornecedores, a não ser em casos de parcerias, onde serão analisados cada caso, junto a diretoria da ABRACOHR.
Art 10º - A relação do comprador com o fornecedor deve ser da mais alta transparência junto a sua empresa que trabalha e com a ABRACOHR, deixando claro seus objetivos de parceria ou apenas breve contato comercial.
Art 11º - Em caso de parceria ou breve contato comercial o comprador deve passar para o fornecedor de forma clara a filosofia de trabalho de sua empresa, formalizando todo o processo de negociação para apresentação de seus superiores em suas empresas, incluindo comparativos ou cotações com empresas, deixando claro suas exigências de qualidade no produto, serviço e atendimento. Através destas exigências torna-se saudável e profissional a relação, não deixando dúvidas a respeito de favorecimentos pessoais.
SEÇÃO III- RELAÇÕES ENTRE ABRACOHR E PATROCINADORES E PARCEIROS OU SIMILARES
Art 12º - Todo tipo de patrocínio e parcerias direcionadas a ABRACOHR deverão ter o máximo de transparência de sua origem, finalidade e destino sendo qualquer negociação formalizada em formulário de contrato ou acordo, assinados por ambas as partes envolvidas, deixando bem claro que qualquer parceria não envolve nenhum tipo de favorecimento diferente dentro da empresa de cada associado.
Art 13º - Toda negociação de parceria deve ser comunicada e analisada pela diretoria da ABRACOHR, onde será avaliado sua necessidade, legitimidade e transparência sempre.
SEÇÃO IV - RELAÇÕES DA ABRACOHR COM A IMPRENSA OU EMPRESAS DE MÍDIAS EM GERAL
Art 14º - O associado não deve usar nenhum meio de mídia para sua auto promoção, usando ou relacionando o nome ABRACOHR, sem uma prévia análise de cada caso e autorização formal pela diretoria.
Art 15 º - Toda veiculação de matérias junto a associados da ABRACOHR deverão ter um foco direcionado a valorização da profissão, destacando suas várias vertentes, podendo ser direcionada ao conhecimento técnico, procedimentos ou outros assuntos que permeiam a profissão.
CAPÍTULO III - INFRAÇÕES, APURAÇÃO E PENALIDADES
SEÇÃO I - INFRAÇÕES
Art 16º - São consideradas infrações éticas da ABRACOHR e dos Compradores:
I – Solicitar qualquer benefício pessoal usando o nome da ABRACOHR;
II- oferta de vantagens predatórias em licitações;
III- prestação de informações depreciativas ou incorretas sobre concorrentes;
SEÇÃO II - APURAÇÃO
Art 17º - É instituído o Sistema de Ética da ABRACOHR, composto pela Comissão de Ética prevista no artigo 4º, e pelas Comissões de Ética que serão criadas pelas ABRACOHR’s estaduais e distritais, com atribuição de apurar as condutas dos Compradores contrárias a este Código, observadas as normas referidas no artigo.
Art 18º - A apuração prevista no código anterior caberá a ABRACOHR estadual ou distrital em cujo território estiver localizado o Comprador associado ao qual estiver sendo imputada a conduta irregular, o mesmo poderá solicitar a participação da ABRACOHR, que adotará com presteza as devidas medidas.
Art 19º - o processo de apuração será instaurado de ofício pelo Presidente das ABRACOHR’s estaduais ou distritais, ou com a notícia por escrito de prática de conduta tida como irregular, de autoria identificada, sendo observado o seguinte fluxo básico:
I - instaurado o processo pela ABRACOHR estadual ou distrital, será notificado o Comprador imputado, para manifestação no prazo de 10 dias a partir do recebimento e, querendo, juntada de documentos e solicitação de provas adicionais;
II - recebida a manifestação será designado relator, que deferirá ou não as provas solicitadas e determinará as diligências que entender necessárias, com ciência do noticiante;
III - encerrada a instrução do processo, o relator designado elaborará relatório e proferirá seu voto, em sessão de julgamento da Comissão de ética da ABRACOHR estadual ou distrital;
IV - julgado o processo, em regime de votos da maioria, as partes envolvidas serão notificadas da decisão, podendo, no prazo de 10 dias do recebimento, interpor recurso, com efeito suspensivo, junto a Comissão de Ética das ABRACOHR’s estaduais ou distritais, que o enviará à Comissão de Ética da ABRACOHR Nacional, cuja decisão será definitiva.
SEÇÃO III - PENALIDADES
Parágafo Único - Instaurado o processo de apuração, a Comissão de Ética das ABRACOHR’s estaduais seguintes penalidades:
I - advertência escrita;
II- censura pública;
Parágrafo Único - A par das penalidades prestadas neste artigo, será sempre determinada a imediata cassação da prática de conduta irregular.
Art 20º - O descumprimento das decisões que aplicarem penalidades resultará na suspensão ou eliminação do Comprador do quadro associativo das ABRACOHR’s estaduais ou distritais.
Parágrafo Único - No caso de suspensão, os integrantes da empresa não poderão exercer cargo ou função na ABRACOHR, bem assim os direitos associativos.
Art 21º - A decisão negativa de conduta irregular poderá determinar a retratação pela ABRACOHR’s que a tiver noticiado, se restar apurada a existência do dolo.
Art 22º - A qualquer tempo, o Comprador punido poderá apresentar fatos novos ou desconhecidos à época da apuração solicitar revisão da penalidade aplicada, quando possível, cujo processo observará o rito previsto no artigo.